Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Notícias, Uncategorized

Nenhum Comentário

O longa-metragem documental será exibido nesta quinta-feira, 01 de junho, às 19h no CineDocs do SESC Paço da Liberdade em Curitiba.

Após a sessão haverá um debate entre a platéia e o diretor do filme Guto Pasko.

A entrada é gratuita e limitada a capacidade do local.

O Paço da Liberdade fica na Praça Generoso Marques, 189 – Centro – Curitiba.

IVÁN é uma produção da GP7 Cinema e a distribuição nos cinemas foi da Moro Filmes.

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , ,

Categorias
Uncategorized

Nenhum Comentário

Documentário conta história real de refugiado da segunda guerra mundial que retorna à Ucrânia após 68 anos longe da família.

O filme “Iván”, longa-metragem do diretor Guto Pasko, estreia no Rio de Janeiro onde permanece em cartaz e dia 26 estreia em Curitiba, São Paulo, Brasília e Porto Alegre, além das cidades de Castro e Campo Largo na região metropolitana de Curitiba.

“Iván” é um longa da produtora paranaense GP7 Cinema, distribuído pela Moro Filmes também do Paraná. O longa foi patrocinado pela Petrobrás e quem assina a produção é Andréia Kaláboa.

Foram cinco anos desde a produção do filme até chegar ao grande público brasileiro: as filmagens aconteceram em 2010, a montagem em 2011, os festivais nacionais e internacionais no período de 2012-2013 e agora o lançamento nos cinemas o Brasil.

#somostodosivan #IBelong #escoteirosporivan @petrobras @gutopasko

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias
Notícias

Nenhum Comentário

Documentário “Iván” revela drama de apátrida no Brasil e começa a ser divulgado no país.

Brasília, 11 de novembro de 2015 (ACNUR) – A campanha global #IBelong (www.unhcr.org/ibelong), promovida pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) para acabar com a apatridia no mundo, tem um novo aliado em defesa de sua causa. Trata-se do documentário brasileiro “IVAN”, que será lançado na próxima semana em diversas capitais brasileiras. Amanhã, às 10h00 o filme será exibido exclusivamente para a imprensa no Cine Odeon, no Rio de Janeiro. Em São Paulo, a sessão para a imprensa acontece na próxima 2ª feira (dia 16/11), às 10h30 no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca.

O documentário retrata de forma comovente o reencontro de Iván Bojko com seu pais de origem, a Ucrânia, após 68 anos de exílio. Em 1942, Iván foi tirado à força de seu país pelos nazistas para fazer trabalhos forçados na Alemanha, onde permaneceu até 1945. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, não pôde retornar à Ucrânia e veio para Brasil em 1948 como refugiado. Por não ter documentos que comprovassem sua origem, viveu como apátrida no país até os anos 90, quando adquiriu a nacionalidade brasileira.

Para retornar à Ucrânia, Iván viajou com um passaporte brasileiro. Em um dos seus depoimentos no documentário, Iván reconhece o valor de ter uma nacionalidade. “O Brasil é uma terra que me deu segurança para o resto de minha vida, inclusive me deram a cidadania brasileira. Hoje sou cidadão brasileiro e espero já naquela terra descansar definitivamente”.

Para o diretor do filme, Guto Pasko, Iván é um exemplo de superação diante as adversidades que marcam a trajetória dos apátridas pelo mundo. “Iván sofreu as duras consequências dessa situação pelos quais passam atualmente milhares de pessoas em todo o mundo. Mas Ivan nunca perdeu a esperança na humanidade. Desejo que o filme Ivan sirva de inspiração para cada cidadão ainda apátrida desse planeta”.

A ONU estima que existam cerca de 10 milhões de apátridas no mundo, e a campanha #IBelong do ACNUR pretende, nos próximos 10 anos, erradicar a apatridia – um limbo jurídico para milhões de pessoas que não têm nacionalidade reconhecida por nenhum país e vivem sem garantias de seus direitos humanos. A campanha #IBelong foi lançada pelo ACNUR em novembro de 2014, no marco do 60º aniversário da Convenção de 1954 das ONU sobre o Estatuto dos Apátridas. Com a campanha, o ACNUR espera reunir 10 milhões de assinaturas na “carta aberta”, utilizando-a para demonstrar o apoio popular ao fim da apatridia.

A Carta Aberta (em português) está disponível em www.unhcr.org/ibelong/carta-aberta.

As sessões exclusivas para a imprensa também reunirão formadores de opinião, apoiadores da causa dos refugiados e representantes de instituições ligadas ao tema. O diretor do filme, Guto Pasko, estará presente. Para participar da sessão, jornalistas e pessoas interessadas devem confirmar presença pelo email rodrigojduarte@gmail.com

No dia 19 de novembro, o filme terá sua pré-estreia no Rio de Janeiro, no Cine Odeon, com venda limitada de ingressos. A sessão contará com as presenças do diretor Guto Pasko, da produtora Andréia Kaláboa e da chefe do escritório do ACNUR em São Paulo, Isabela Mazão.

Serviço:
Pré-estreias:
19/11 – Rio de Janeiro (Cine Odeon)
23/11 – São Paulo (Espaço Itaú de Cinema – Frei Caneca)
24/11 – Curitiba (Espaço Itaú de Cinema – Shopping Crystal)

Estreias:
19/11 – Rio de Janeiro
26/11 – São Paulo, Curitiba, Brasília e Porto Alegre

Iván na internet:
Facebook: www.facebook.com/ivanfilme
Instagram: @ivanfilme
Site oficial: ivanfilme.com

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR)
Facebook: www.facebook.com/AcnurAmericas
Twitter: twitter.com/ACNURBrasil
Site oficial: www.acnur.org.br
Site da campanha #IBelong: www.unhcr.org/ibelong/carta-aberta

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , ,

Categorias
Imprensa, Notícias

Nenhum Comentário

Cabine de imprensa IVÁN no Rio de Janeiro:

Data: 12/11 (quinta-feira)

Horário: 10h

Local: Cine Odeon (Praça Floriano, 07 – Centro)

Obs: o diretor Guto Pasko estará presente no local para atender à imprensa

Cabine de imprensa IVÁN em São Paulo:

Data:16/11 (segunda-feira)

Horário: 10h30

Local: Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca Sala 4 (Rua Frei Caneca, 569, 3º andar – Consolação)

Obs: o diretor Guto Pasko estará presente no local para atender à imprensa

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias
Notícias

Nenhum Comentário

O filme IVÁN do cineasta paranaense Guto Pasko estreia em novembro nos cinemas brasileiros.

Abaixo as cidades com as respectivas datas e salas de exibição:

19 de novembro no Cine Odeon – Rio de Janeiro. 
26 de novembro no Espaço Itaú de Cinema – Brasília. 
26 de novembro no Espaço Itaú de Cinema – Curitiba. 
26 de novembro no Espaço Itaú de Cinema – São Paulo. 
26 de novembro no Espaço Itaú de Cinema – Porto Alegre. 
26 de novembro no Cineplus Jardim das Américas – Curitiba.

Confira a página do filme no Facebook: https://www.facebook.com/ivanfilme/

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Imprensa, Notícias

Nenhum Comentário

O jornal é editado pela Sociedade Ucraniana do Brasil – SUBRAS.

“Iván Bojko é o herói que não salva ninguém, não retoma o mundo de vilões poderosos, não pula de prédios e nem voa. Iván é o herói do filme porque com sua voz cansada mas afetuosa, seu olhar firme mas carinhoso retrata a saga de muitos homens e mulheres que antes e depois dele para cá vieram.”

Leia aqui o texto de Roberto Oresten, Presidente da Sociedade Ucraniana do Brasil clicando na imagem.

EDITORIAL

Na última edição do nosso “O Lavrador” escrevi algumas palavras lembrando de minha infância e tentando mostrar como me foi importante a figura de IVÀN BOJKO, o homem das Banduras que magistralmente liderava e regia um grupo de homens que entoavam cações nacionalistas ucranianas em eventos cívicos.

Minhas palavras foram decorrentes de um encontro fortuito que tive com O Sr IVÀN na SUBRAS, num almoço de domingo.

Quando escrevi, terminei lembrando que a história de vida dele é tão magnífica que levou Guto Pasko, o cineasta, a retratá-la num filme.

Com agradável surpresa dias após estar circulando nosso Editorial soube, pelo próprio Guto Pasko que o filme será, por fim, exibido nas salas de cinema do Brasil depois de cinco anos de ansiosa espera

Guto Pasko é um descendente de Ucranianos, com raízes Prudentopolitana. Com uma sensibilidade diferenciada, tornou-se cineasta e demonstrou isto quando produziu “MADE IN UCRANIA”, filme que quem não viu não sabe o que está perdendo, como diria meu saudoso avô José Kobren.

Enquanto gravava o que de melhor a nossa comunidade fez e continua fazendo conheceu este IVAN, homem simples de poucas palavras, confusas pela dificuldade de alinhar o ucraniano com o português mas firmes quando se trata de falar sobre sua saída da Ucrânia, a vinda para o Brasil, sua vida por aqui e seus desejos de um dia voltar para rever o que deixou na época da segunda guerra.

Foi então que aflora a sensibilidade do cineasta e ele decide buscar recursos para propiciar que IVÀN faça o caminho inverso em sua vida, ou seja, volte para a sua Ucrânia.

Guto surpreende IVAN e o leva para seu berço. Lá, ele revê amigos e principalmente familiares que até então julgava nunca mais veria.

Lá, passeia pelos Girassóis e reencontra a casa onde nasceu.

Lá, tem a oportunidade de falar sobre sua vida desde a saída e como viveu e vive neste Brasil.

Lá chorou de emoção e de alegria.

Na verdade, IVAN BOJKO é o ator de um filme que retrata o caminho percorrido por muitos ucranianos que por certo em condições semelhantes, senão piores para este Brasil vieram numa fuga que tinha como principal objetivo salvar a vida.

No filme, IVAN BOJKO consegue o que muitos almejaram e não obtiveram sucesso ou o que muitos igualmente conseguiram, ou seja, voltar e ver o que deixou e como tudo e todos ficaram e por consequência como tudo e todos hoje se encontram.

IVAN BOJKO é o herói que não salva ninguém, não retoma o mundo de vilões poderosos, não pula de prédios e nem voa. IVAN é o herói do filme porque com sua voz cansada mas afetuosa, seu olhar firme mas carinhoso retrata a saga de muitos homens e mulheres que antes e depois dele para cá vieram.

Assistir ao filme não significa apenas ver a saga de IVAN, mas se permitir substituir o ator principal por tantos outros atores que em momento algum foram coadjuvantes, mas poderiam sim dividir a tela com IVAN.

Guto Pasko achou um ator e tanto para mostrar numa vida o que tantas outras passaram.

Guto Pasko foi sensível em achar na história de IVAN BOJKO a história de tantas pessoas que imigraram para este Brasil vindas da Ucrânia e não tiveram a oportunidade de contar adequadamente seus dias difíceis nem os mais alegres, pois já se foram.

IVAN, o filme, nos permitirá viajar com muita gente além de IVAN BOJKO, basta termos um pouco da sensibilidade de Guto Pasko.

SLAVA IKRAINII

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Notícias

Nenhum Comentário

Filme “Iván” retrata história real de refugiado que retorna à Ucrânia após 68 anos longe da família.

Iván Bojko é um sobrevivente da Segunda Guerra Mundial. Nascido na Ucrânia, foi tirado à força de seu país em 1942 pelos nazistas para fazer trabalhos forçados na Alemanha. Em 1948 conseguiu imigrar para o Brasil, tornando-se apátrida. Desde então, não pôde retomar contato com seus familiares devido ao bloqueio imposto pelo regime político dos russos em seu país – um novo conflito entre os dois países retornou aos noticiários mundiais nos últimos tempos.

68 anos depois, ele retornou. Este comovente reencontro com o seu país, sua família e seu passado é retratado no filme “Iván”, que conta a história real de um refugiado, baseada nos diários escritos pelo próprio Iván Bojko, que tinha 91 anos quando voltou a pisar em solo ucraniano.

“Iván” tem direção de Guto Pasko, experiente realizador paranaense, que é descendente de ucranianos, e abordou o tema imigração em outros títulos de sua filmografia, tais como “Made in Ucrânia – Os Ucranianos no Paraná”, “A Colônia Cecília” (neste caso, sobre imigrantes italianos) e “O Herói de Cruz Machado” (poloneses).

O filme recebeu premiações no Festival de Cinema  de Maringá, Florianópolis Audiovisual Mercosul, Fest Cine Goiânia, além de ser exibido nos festivais de Brasília, Mostra Tiradentes, Olhar de Cinema (Curitiba), Cinesul , FENAVID (Bolívia), Festival Cinematográfico de Montevideo (Uruguai) e Festival Latino-Americano de Cinema de Trieste (Itália).

“Iván” é uma realização da GP7 Cinema, com produção de Andréia Kaláboa, patrocinado pela Petrobras, com a distribuição da Moro Filmes através do Edital do FSA para distribuição.

Esta semana marca o lançamento do trailer oficial deste longa-metragem.

Página oficial: ivanfilme.com

Página no Facebook: www.facebook.com/ivanfilme

Trailer:

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Imprensa, Notícias

Nenhum Comentário

”Cativas – Presas Pelo Coração”, de Joana Nin, comove ao mostrar as relações amorosas de mulheres com presidiários.

Matéria publicada no Jornal Gazeta do Povo de 11.08.2015.

“Todas as cartas de amor são ridículas ou não seriam cartas de amor”, escreveu Fernando Pessoa pela pena de seu alter ego Álvaro de Campos.

Talvez a definição não faça justiça às centenas de cartas ornadas com rosas e pores do sol desenhados à canetinha e perfumadas com os sabonetes baratos que são remetidas todas as semanas da Rua das Palmeiras sem número, o endereço da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Piraquara.

Trágicas e comoventes, essas cartas são o único meio de contato entre os muitos casais de mulheres livres com homens encarcerados na PCE que compõem a linha narrativa de “Cativas – Presas Pelo Coração”, da diretora Joana Nin. O documentário será lançado nesta quinta-feira (13), no Cineplus Jardim.

O filme chega ao circuito comercial 14 anos depois de ter sido idealizado por Joana e uma equipe que inclui as produtoras curitibanas Moro Filmes e Sambaqui Cultural, mais o canal pago GNT.

“É o tipo de projeto que pessoas sãs teriam abandonado. São muitos anos lutando contra muitas barreiras além daquelas que normalmente enfrentam os longas documentais”, diz Joana.

O projeto teve início em 2001, com a ideia que deu origem ao curta-metragem “Visita Íntima”, de 2004, mostrando a rotina de visitas de mulheres aos presos na PCE.

O longa-metragem consegue expandir esse argumento e retrata o cotidiano sofrido de 13 mulheres cujo “grande amor” está cumprindo pena.

Para a cineasta, ainda que o filme faça uma reflexão sobre o sistema penitenciário, ele “é basicamente sobre mulheres e a forma feminina, loucas e humanas, de amar”. “O filme mostra como elas conseguem acessar o cárcere pela via do afeto, sendo que a gente, quando olha para o cárcere, pensa em tudo menos no afeto”, diz Joana.

“Cativas” fez opções narrativas ousadas até o limite do cinema documental.

Há, por exemplo, um casamento entre um detento e uma das personagens com direito a véu, grinalda, padrinhos, brindes e bolo de noiva. Há ainda a recriação da cena em que dois presos compõem com textos e desenhos cartas como as que costumam mandar às suas parceiras todas as semanas.

“Essa cena é documental. Ainda que a cela tenha que ter sido recriada numa ala desativada, pedi para os presos trazerem coisas da cela para recriarem o ambiente de como poderia ter acontecido”, explica Joana.

Há ainda o registro de uma relação sexual durante uma das visitas íntimas – registrado de forma sutil e poética – que torna o filme único.

“Não sei se existe algum filme documental no mundo que apresenta uma cena de sexo no meio da cadeia”, observa Joana. “Eu ‘puxei’ 14 anos de cadeia. Fui ‘cativada’ pelo tema e não pude deixar passar, pois creio que ninguém no Brasil tenha 12 anos de pesquisa em uma mesma unidade e consiga mostrar esse universo como ele é mesmo”, diz Joana.

“Cativas – Presas Pelo Coração”

Filme estreia nesta quinta-feira (13) com sessões às 17h30 e 21h no Cineplus Jardim das Américas (João Doetzer, 555 – Jardim das Américas).

Além de “Cativas”, a distribuidora Moro Filmes lança em 2015: o novo filme de Guto Pasko (sobre o refugiado ucraniano Iván Boiko, ainda sem título), “As Fábulas Negras” e “Caçadores de Espécies e o Símbolo Secreto”.

Link da matéria:

http://www.gazetadopovo.com.br/caderno-g/cinema/documentario-retrata-os-dificeis-amores-separados-pelo-carcere-9es77sh4t300l1ae51ktgbzmu

Assista ao trailer de “Cativas”:

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Notícias

Nenhum Comentário

O longa-metragem do cineasta paranaense Guto Pasko será distribuído nas salas de cinema no Brasil pela Moro Filmes.

A ideia é que o público ajude a definir o título final do documentário de longa-metragem sobre IVÁN BOJKO.

Para conhecer as opções de título e votar entre no link: http://goo.gl/forms/ql5uL2IHIu

Sinopse:
Em 1942 Iván Bojko foi arrancado pelos nazistas de sua aldeia natal e levado para Alemanha para trabalhos forçados. Em 1948 ele imigrou para o Brasil como refugiado da segunda guerra mundial e nunca mais conseguiu voltar para a Ucrânia, mas se manteve ligado às tradições culturais do seu país através da musica.

68 anos depois, o filme documenta o retorno de Iván Bojko a sua terra natal, numa verdadeira viagem de “volta ao passado”, já aos 91 anos de idade.

Baseado nos diários de Iván, as imagens e sons funcionam como canais de acesso a uma experiência do imaginário, que atravessam as simples lembranças do imigrante e chegam ao nosso imaginário também.

Trailer:

Gp7 Cinema



Tags
, , , , , , , , , , , ,

Categorias
Guto Pasko, Notícias

Nenhum Comentário

O longa-metragem “Iván – De Volta Para o Passado”, com roteiro e direção do cineasta paranaense Guto Pasko e produzido por Andréia Kaláboa, foi selecionado na Chamada Pública PRODECINE 03/2013, que destina recursos à comercialização de longas-metragens de ficção, animação ou documentário.

O Banco Regional de Desenvolvimento Econômico do Extremo Sul (BRDE) e o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) irão investir R$ 200.000,00 no lançamento do filme nas salas de cinema no Brasil.

O filme foi produzido via Lei do Audiovisual e contou com patrocínio da Petrobrás e está pronto desde 2011. Desde então a produtora GP7 Cinema vinha tentando viabilizar a distribuição no circuito exibidor nacional.

Sinopse: Em 1942 Iván Bojko foi arrancado pelos nazistas de sua aldeia natal e levado para Alemanha para trabalhos forçados. Em 1948 ele imigrou para o Brasil como refugiado da segunda guerra mundial e nunca mais conseguiu voltar para a Ucrânia. 68 anos depois, o filme documenta o retorno de Iván Bojko à sua terra natal, numa verdadeira viagem de “volta ao passado”, já aos 91 anos de idade.

O Comitê de investimento optou por INVESTIR no projeto por considerar que as características artísticas e históricas da obra apresentam potencial de público dentro de um nicho de mercado específico do cinema brasileiro, além da possibilidade de circulação do projeto por outras janelas, inclusive no mercado internacional.

O lançamento da obra no mercado de cinema brasileiro será feito pela Distribuidora Moro Filmes, também de Curitiba, coordenada por Diana Moro.

As datas de lançamento nas salas de cinema brasileiras serão definidas em breve entre a produtora e a distribuidora.

Assista ao trailer do filme no link abaixo: